O que você precisa saber sobre contratos de venda para não ser enganado

O contrato é o documento mais importante e, por isso, o contratante deve ficar sempre atento a cada uma daquelas cláusulas para que não tenha problemas no futuro. O mais indicado é buscar a ajuda de um profissional antes da assinatura final para que ele te alerta acerca de algo errado porém, com o preço mais alto dos honorários, nem todos conseguem realizar tal feito. Se você se encaixa nesse grupo pode ficar tranquilo! No nosso post de hoje vamos dar algumas dicas para que você não caia em armadilhas. Confira!

 

Vendedor

Um dos grandes riscos de vender um imóvel sem o auxílio de uma imobiliária é o tempo de espera entre o pagamento da entrada e a liberação do financiamento. É bastante comum o comprador dar a entrada porém sem a certeza que o financiamento será liberado.

Nessas situações, deve constar no texto do contrato um prazo para o comprador quitar o restante da dívida após a entrada ou o sinal. Além disso, para garantir o pagamento das parcelas, informações sobre o limite de quitação das parcelas mensais não podem faltar.

Para proteger quem está vendendo contra eventuais contratempos, a cláusula multa não pode ficar de fora. Descreva possíveis situações em que o negócio possa vir a ser desfeito e as consequências.

Se ocorrer algo mais sério e for necessária uma intervenção da justiça, o parecer sempre será favorável ao comprador. Por isso, é importante redigir um bom contrato e buscar informações sobre aquele negociante.

 

Comprador

O “contrato de promessa” é bastante utilizado na venda de imóveis na planta porém, como as obras ainda não foram iniciadas, ele apenas mostra o interesse do vendedor em lhe passar o imóvel e não garante que ele é seu. Por isso, é importante ler cuidadosamente cada cláusula dando mais ênfase para quando o contrato de venda será realizado e o imóvel entregue.

O comprador também deve se certificar de que está protegido caso desista da compra. Independente de ser com administradora ou com uma pessoa a parte, deve ser negociado a porcentagem que será reavida no caso de desistência e o prazo para devolução do dinheiro.

Por último, lembre-se que quanto mais informações tiver a respeito do imóvel, melhor será! Se algo estiver irregular, peça ao dono do imóvel para regularizar a situação antes de fechar o negócio. Afinal, depois da compra a irregularidade passa a ser um problema seu e ninguém quer começar  uma nova fase já com esse peso.

 

Para ambas as partes

Sabe aquela vistoria que é feita quando se vai alugar um apartamento? Aquela que descreve todos os itens e peculiaridades do imóvel antes de entregá-lo ao comprador. Então, ela é essencial! Com esse documento ambas as partes estão protegidas e cientes do estado em que se encontra o imóvel no momento da compra. Para imóveis ainda na planta, anexe o memorial descritivo e guarde consigo uma cópia. Essa é uma forma de quando o apartamento estiver pronto, conferir se tudo está conforme prometido.

Se for realizada alguma alteração contratual no meio do caminho, é importante que ela seja anexada ao documento original sempre assinada pelas partes e mais duas testemunhas.

Em suma, usar um modelo de contrato pode ser um começo mas vale lembrar que ele deve ser adaptado à situação de cada cliente. Esperamos que a nossa matéria de hoje tenha ajudado àqueles que estavam um pouco perdidos. Caso ainda tenha ficado alguma dúvida, é só falar!!

 

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lumen Administradora

A Lumen Administradora considera o cliente em primeiro lugar e, em todas as suas atitudes, prima pelo bom atendimento e pela preservação dos valores e princípios que sempre orientaram sua trajetória de crescimento.